Compra Rápida

e envio Ágil

Compra Segura

com o Fast Checkout

Telefones / WhatsApp

(11) 4509-6743 / (11) 99729-6743

Bem-vindo à Colecione Express

Psycho - Psicose

Psycho (Psicose (título no Brasil) é um filme norte-americano de suspense/horror de 1960, dirigido por Alfred Hitchcock e estrelado por Anthony Perkins, Vera Miles, John Gavin e Janet Leigh. Foi escrito por Joseph Stefano, baseado no romance de mesmo nome de Robert Bloch, vagamente inspirados nos crimes do assassino de Wisconsin, Ed Gein. Hitchcock comprou anonimamente os direitos do livro de Robert Bloch, que deu origem ao roteiro do filme; ele pagou onze mil dólares e depois comprou todas as cópias disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, seu final não fosse revelado. Psicose custou 800 mil dólares e faturou 60 milhões de dólares nas bilheterias do mundo inteiro.

O enredo gira em torno da secretária Marion Crane (Leigh) que, após dar um desfalque em seu empregador, vai parar num decadente motel, dirigido por um perturbado rapaz, Norman Bates (Perkins), e das consequências a partir desse encontro.Quando feito originalmente, o filme foi visto como um afastamento da produção anterior de Hitchcock, depois de ter sido filmado com um orçamento baixo, com uma equipe de televisão e em preto e branco. Psicose recebeu inicialmente críticas mistas mas, em razão da excelente bilheteria, o filme obteve uma reconsideração que o levou à aclamação da crítica e quatro nomeações ao Óscar, incluindo Melhor Atriz Coadjuvante para Leigh e Melhor Diretor para Hitchcock.

Hoje é considerado um dos melhores filmes de Hitchcock e elogiado como uma obra de arte cinematográfica por críticos internacionais de cinema e estudiosos da área. Classificado entre os melhores filmes de todos os tempos, ele estabeleceu um novo nível de aceitabilidade para a violência, comportamento desviante e sexualidade nos filmes americanos. Após a morte de Hitchcock em 1980, a Universal Studios distribuiu três sequências, um telefilme, um remake e uma série de TV.

Em Portugal e no Brasil, antes da estreia do filme, houve um rumor lançado pela Imprensa em que o filme se chamaria de "O Filho que Era a Mãe". De imediato a Inspecção dos Espectáculos desmentiu o facto em público, informando que o filme se chamaria de "Psico", com estreia imediata a 22 de Novembro de 1960. O filme estreou e foi um sucesso. Nas ruas ecoava a piada sobre o filme, sobre se chamaria de "Psico" ou "O Filho que Era a Mãe". Mais tarde, o filme, em Portugal, foi exibido na televisão portuguesa através da RTP1, à meia-noite de Sábado, dia 30 de Abril de 1988, na rubrica "Cinema da Meia Noite".

Em 1992, a Biblioteca do Congresso, considerou o filme "culturalmente, historicamente, ou esteticamente significante" e selecionou-o para preservação no National Film Registry.

1 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente

1 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente